Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

sábado, 8 de janeiro de 2011

«CONSIDERAÇÕES SOBRE FREDERICO NIETZSCHE» - Romeu de Melo



«CONSIDERAÇÕES SOBRE FREDERICO NIETZSCHE»
     ROMEU  DE  MELO
COIMBRA EDITORA, Lda
1ª Edição - 1961




Em toda a obra que não seja uma mera recompilação de dados ou manta de retalhos laboriosamente cosidos, isto é, em toda a obra verdadeiramente original, encontramos sempre um ponto nuclear, um tema à roda do qual se agrupam, subsidiariamente, todos os restantes elementos que agem então como sub-estrutura, fundamentação ou emolduramento dessa temática predominante. 
Em Romeu de Melo, esse ponto nuclear, essa temática central e centralizadora, consiste no conceito-base ´Homem Superior` . Este conceito age no pensamento do Autor qual ponto alfa (Chardin), referência de que se parte e a que sempre se volta, prisma para ver e compreender o Mundo de cujo reflexo se extrai a explicação de si próprio, sua razão e finalidade. Porque é no ´Homem Superior` que se realiza o surto do conhecimento, é no seu ser que a espécie realiza o seu ponto mais alto e se marca o maior distanciamento do animal, porque é nele que se estriba toda a qualidade de Progresso e Civilização, poderemos reivindicar para ele o que possuímos de Conhecimento e ao que assistimos como Realização. E é esse conhecimento laboriosamente acumulado, é a compreensão do Mundo e dos seus fenómenos que, por ele realizados, nele se reflectem, explicando-o e definindo-o em sua natureza,numa interacção fértil de virtualidades. À luz deste conceito, se devidamente esclarecido, tudo o que poderemos abranger pela designação genérica de Ciência da Cultura se clarifica e se revela em novas formas mais exactas de significado.
O conceito tem os seus precursores que têm vindo a marcar os séculos desde a mais remota anatiguidade até à contemporaneidade. O mais próximo de nós, e aquele que maior influência teve na nossa Cultura, foi Nietzsche! Por isso o Autor dele se aproveitou para empreender a génese de tal conceito. Assim, Nietzsche surge especialmente perspectivado na sua característica de teorizador do ´Super-Homem`, como aquele que sonda as profundidades da psique humana tão heterogénea e compósita. Porém Romeu de Melo efectua uma observação subtil sobre um aspecto que atinge o que em Nietzsche é mais geral do ponto de vista filosófico, capaz de justificar e clarificar certos erros, contrasensos e arriscadas conclusões e ilações
baseadas em princípios válidos: Nietzsche é profundo quando intui, e aí toca o cerne de verdades ignoradas  pela maioria (´dichter`); porém, quando especula, distorce e trai relações evidentes, opõe ´negações` às conclusões tiradas de premissas que, no seu justo desenvolvimento necessitariam ´afirmações` (denker). (desse facto já em 1953 Álvaro Ribeiro se apercebera de um modo diferente e mais profundo, na sua 
introdução à ´Origem da Tragédia`). Também na sua teorização do ´Homem Superior`se relecte este preconceito genérico.
Romeu de Melo procura corrigir incongruências observadas na obra de F.N., as tais ilações tiradas das finas e subtis críticas, das intuições do génio nietzschiano.






                                                                   2 ª Edição




http://skocky-alcyone.blogspot.com/2009/06/k-tese-e-o-axioma-romeu-de-melo-porto.html
http://skocky-alcyone.blogspot.com/2010/06/os-intelectuais-e-politica-antologia.html
http://skocky-alcyone.blogspot.com/2010/06/o-homem-contemporaneo-romeu-de-melo.html

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue