Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

terça-feira, 21 de junho de 2011

«HISTÓRIA DAS IDEIAS SOCIAIS» - KURT SCHILLING





«HISTÓRIA DAS IDEIAS SOCIAIS»
  KURT SCHILLING
TRADUÇÃO: FAUSTO GUIMARÃES
398 Págs.
ZAHAR EDITORES
RIO DE JANEIRO, 1966
TÍTULO ORIGINAL: «GESCHICHTE DER SOZIALEN IDEEN»
ALFRED KRÖNER VERLAG
STUTTGART, 1957
República Federal da Alemanha




A civilização e a técnica humana desenvolvem-se constantemente desde a utilização do primeiro instrumento pelo homem de Neandertal até à época da Máquina.
Os problemas da formação das comunidades ajustam-se a essa evolução à medida que se modificam as tarefas a ser executadas. A passagem da caça e simples colheita de frutos à agricultura e à pecuária transforma radicalmente o carácter do homem, estabelecendo definitivamente a diferença entre o grupo humano e a horda animal. O homem transforma-se também no plano intelectual, desejoso que está de conservar e proteger, de dominar e apropriar-se da natureza.
Quase toda a história humana é ocupada pelas grandes civilizações: egípcia, babilónica, chinesa, indiana, grega, latina, árabe e ´ocidental` , cujas premissas espirituais SPENGLER e depois TOYNBEE, descreveram morfologicamente nas suas origens, prosperidade e decadência... Na última dessas civilizações a ´ocidental` surge na Europa, a era industrial na qual vivemos (até à edição da presente obra) cujos problemas sociais apareceram pela primeira vez há mais de duzentos anos!
Este livro não se limita ao relato dos acontecimentos ocorridos ao longo do tempo ou das concepções que floresceram nas diferentes épocas. A ´história` a que se refere o título deste livro é vista dentro do fluxo do acontecer, do fluxo no tempo, procurando sempre voltar à origem real dos factos e das ideias, examinando e descrevendo a problemática que está na origem desse desenvolvimento!
Para analisar os contextos históricos concretos, KURT SCHILLING, autor desta obra e à época professor da matéria na Universidade de Munique, edificou um esquema conceptual para permitir, num primeiro momento, a clara compreensão dos factos e das ideias, para de seguida, serem definidos em função da problemática em que se originaram.
A edição brasileira é mais completa que a original alemã ou a tradução francesa, acrescida que foi de um capítulo ´inédito` sobre a integração política das massas, no qual o Autor analisa o fascismo italiano, o nazismo alemão, o comunismo russo-chinês e o industrialismo americano.


INTRODUÇÃO


1ª PARTE - A ANTIGUIDADE
                  A Formação dos Primeiros Grupos Humanos
                  Os Gregos
                  Primeiras reflexões dobre a Sobre a SOCIEDADE
                  Definição de Comunidade e Sociedade
                  SÓCRATES
                  PLATÃO - ´A REPÚBLICA` e ´AS LEIS`
                  ARISTÓTELES
                  Fim da Antiguidade
2ª PARTE - CRISTIANISMO E IDADE MÉDIA
                  Origem da Ideia Social Cristã
                  SANTO AGOSTINHO
                  Os Germanos
                  SANTO TOMÁS DE AQUINO
                  Decadência da Ideia do Cristo- Rei (Luta entre o IMPÉRIO e o PAPADO - 
                 -GIBELINOS contra GÜELFOS)
3ª - PARTE - OS TEMPOS MODERNOS
                  Premissas
                  Prelúdio Utópico: A ´UTOPIA` , ´A CIDADE DO SOL` . ´A NOVA ATLÂNTIDA`
                  MAQUIAVEL e BODIN
                  ALTHUSEN e GROTIUS
                  HOBBES e ESPINOSA
                  A Comunidade Religiosa: MILTON
                  LOCKE e MONTESQUIEU
                  ROUSSEAU
                  Visão Retrospectiva e Perspectivas
                  KANT, FICHTE e HEGEL
4ª - PARTE - A ERA INDUSTRIAL
                   Premissas
                   SCHOPENHAUER
                   A ´ECONOMIA POLÍTICA` INGLESA
                   O SOCIALISMO PRÉ.MARXISTA (UTÓPICO)
                   KARL MARX
                   NIETZSCHE
                   A Integração Política das Massas no Século XX : FASCISMO - NACIONAL-SOCIALISMO - 
                   - COMUNISMO RUSSO-CHINÊS  -  INDUSTRIALISMO AMERICANO.


                  
                   
                  

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue