Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

domingo, 29 de agosto de 2010

«MARX CRÍTICO DO MARXISMO» - Maximilien Rubel




«TUDO O QUE SEI, É QUE ´EU`NÃO SOU ´MARXISTA`
«Tout ce que je sais, c'est que ´moi` je ne suis pas ´marxist` »

KARL MARX, Num encontro em PARIS


                                                             Capa


«MARX CRITIQUE DU MARXISME»
                        ´ESSAIS`
        «MARX CRÍTICO DO MARXISMO`
                        ´Ensaios`
        MAXIMILIEN RUBEL
CRITIQUE DE LA POLITIQUE
( collection dirigé par MIGUEL ABENSOUR )
PAYOT, PARIS - 1974
Nº de impressão: 525
Depósito legal: 4º trimestre de 1974



                                                               Contra-capa


«Por muito diversos que sejam os temas, uma intenção fundamental presidiu à elaboração da presente recolha de textos: reunir os elementos com o objectivo de uma demolição intelectual, a qual - disso o leitor não terá dificuldade em o constatar - o verdadeiro autor nada mais é que o próprio Marx. É ele que retoma e avança aqui com a sua obra crítica, pois a ele e só a ele, cabe a tarefa de denunciar e de pregar na estaca aqueles que, reclamando-se do seu combate e do seu pensamento, se fazem cúmplices do sistema de exploração e de opressão que ultrapassam em crueldade e desumanidade tudo o que se pode entrever observando e estigmatizando os malefícios e as taras da civilização burguesa e capitalista.

Marx crítico do marxismo, é, decerto, Marx crítico do verdadeiro capitalismo, mas é antes de mais, Marx crítico do falso socialismo, de uma impostura ideológica, que é de tal modo uma ironia trágica arrogar-se o direito de apelar para o primeiro crítico científico das ideologias. Obscurantismo da nossa época, o marxismo que serve o Estado-Partido e o seu capital planificado é sujeito da crítica de Marx do mesmo modo que as ideologias burguesas que se prestam a justificar o capital burguês e seu Estado-liberal. Irmãos inimigos, até mesmo irmãos sem dar lugar a dúvida, o verdadeiro capitalismo e os falsos socialismos estão unidos na conspiração universal que mantém a humanidade num estado de barbárie permanente e transformou a causa comum ao socialismo científico e à utopia socialista ´num tecido de mentiras, num ópio para o povo, ao serviço dos novos senhores e dos seus exércitos de luxo, os seus mísseis atómicos e os seus sputniks`(Max Horkheimar).»

Nota: O conteúdo da presente obra poderá ser encontrado no ´blog` seguinte!

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue