Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

terça-feira, 31 de agosto de 2010

«A INTRODUÇÃO DO MARXISMO EM PORTUGAL» - Alfredo Margarido



«A INTRODUÇÃO DO MARXISMO EM PORTUGAL»
(1850-1930)
Sociologia e Política
Guimarães & C.ª  Editores


A maneira como se processaram a introdução e a difusão do marxismo, são questões fundamentais, para o esclarecimento da teoria e da prática sociais.
Tais questões têm sido disfarçadas, a ponto de ser impossível ainda há pouco definir as linhas fundamentais da relação entre o marxismo e o proletariado.
Este texto não pretende esgotar a questão, mas quer definir os marcos essenciais da introdução do marxismo, tanto na relação com a ideologia dos universitários e dos intelectuais, como na maneira como o proletariado o reconheceu e o integrou.
Ressalta, entre o mais, a maneira como o proletariado anarco-sindicalista assegurou a tradução e a circulação dos principais textos marxistas.

Alfredo Margarido, estudou na Escola de Belas-Artes do Porto e expôs obras de cerâmica no Porto e em Lisboa, em 1954, bem como esculturas em Luanda - Angola em 1956. Após alguns anos em África, onde trabalhou na produção agrícola em São Tomé e Príncipe, transferiu-se para Angola, onde foi responsável pelo Fundo das Casas Económicas, corporação que pretendia resolver o problema de habitação da classe média ascendente. Todavia a sua intervenção na imprensa provocou uma reacção violenta do Governador-geral, Horácio José de Sá Viana Rebelo, que ordenou a sua expulsão. Exilado em França desde 1964 instala-se em Paris, é investigador na Ecole des Hautes Etudes, tendo-se integrado nos movimentos de extrema-esquerda. Criou e co-dirigiu a revista ´Cadernos de Circunstância`, entre 1966 e 1970. Ensinou em Paris I (CRA), Paris II (Lógica matemática), Paris VII (Jussieu) - (História e Antropologia) , Paris VIII ( Vincennes, mais tarde St. Dennis) - ( Introdução aos Territórios africanos de língua portuguesa, tendo ensinado também na Universidade Júlio Verne e no Institut D'Art, ambas em Amiens ( Sociologia do Conhecimento e Sociologia do Cinema ). No Brasil ensinou nas Universidades de S. Paulo (USP), Campinas, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade da Paraíba do Sul (João Pessoa). Dedicou-se especialmente à sociologia da literatura e aos problemas africanos. Poeta cuja obra apresenta elementos surrealizantes, bem como ensaísta e ficcionista, foi um dos introdutores do Nouveau Roman francês em Portugal. Teve uma intervenção activa e importante na ´Casa dos Estudantes do Império`, dissolvida pelo regime da ditadura!


Sem comentários:

Pesquisar neste blogue