Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

sábado, 26 de maio de 2012

OS NOVOS MESSIAS» - ´Análise psicopatológica de HITLER e MUSSOLINI» - LUIS CEBOLA



«OS NOVOS MESSIAS»
´Análise psicopatológica de
HITLER  e  MUSSOLINI`
   LUIS CEBOLA
Director -clínico do Hospital do Telhal
         EDIÇÃO DA 
EMPRESA NACIONAL DE PUBLICIDADE
LISBOA, 1945
211 págs.




O Autor, Luis Cebola, Médico alienista, apesar de esperar a admiração e espanto da presente obra, por parte daqueles que, estranhos à medicina, decidiu dar à estampa uma análise psicopatológica de Hitler e Mussolini. 
Alega, o Autor que se fundamenta apenas e tão somente no testemunho de pessoas que os conheceram e com eles colaboraram; nos relatos de jornais portugueses e estrangeiros e em livros onde se comentam os aspectos económico, financeiro e racista do que denomina «fascismo ítalo-
-germânico. 
Confia que compreenderão, desde logo, o motivo de se abalançar a estudo de tamanha amplitude e responsabilidade, invocando para isso os progressos da Psiquiatria da época, que já então permitem
conclusões seguras, apesar de não ter havido procedido a exame directo.
Caso, por exemplo, se tratasse de uma personagem que, tendo morrido há muitos anos, tenha deixado escritos, desenhos, pinturas ou quaisquer outros elementos fidedignos, os peritos-psiquiatras
poderiam estabelecer as bases do diagnóstico de uma psicose, psicopatia constitucional ou ou
oligofrenia, unicamente pelo exame desses documentos.
Ora, afirma o Autor, se é possível fazê-lo em casos remotos, menor dificuldade se lhe deparou no estudo de Hitler e Mussolini. De resto, tendo vivido na mesma época e vibrado com seus ruidosos
êxitos, durante as ditaduras fascista e nazista, isto é, a «Nova Ordem» que pretenderam impor a todo
o Mundo. 
Este acontecimento de consequências latas, profundas e catastróficas, será sempre, para o analista, um tema de grande interesse e, para a Itália e Alemanha, penosa recordação, por quantos viram
desabar os seus impérios e cobrirem-se de ruínas os territórios pátrios.
Este magno acontecimento, deu origem a que viessem a lume diversas publicações sobre esse fenómeno político-social. Parece, todavia, ao Autor que ainda não houve lugar a uma interpretação
que incidisse sobre a sua faceta patológica, à luz dos princípios positivos da Medicina.
A obra de análise escrita pelo Autor e que propões à leitura, é, pois, a síntese da suas investigações,
acompanhada pela crítica respectiva, acerca dos cérebros anómalos que agitaram loucamente a Humanidade no século XX.
Com a sua actuação estrondosa, se encerrou o ciclo histórico, a que ao tempo de chamava ´Idade
Contemporânea` , que acabava de morrer, sob os escombros da II Guerra Mundial.
Esta ´Idade` nasceu, iluminada pelos clarões da ´Bastilha` para se conquistarem os direitos do Homem, e entrou em agonia, ao rufar dos tambores que anunciavam a sua luta titânica, para os salvar das mãos de ferro de Hitler e Mussolini.




NOTA: É interessante referir a semelhança da análise efectuada pelo internacionalmente famoso Dr.   F. Achille-Demas em «Adolf Hitler: Essai de biographie psycho-patologique», 1946.


Contra este tipo de análise se levantou a corrente do «Realismo Fantástico», iniciada em:
«LE MATIN DES MAGICIENS», 1960 (1º tradução portuguesa: «O DESPERTAR DOS MÁGICOS»
 introdução ao Realismo Fantástico») de LOUIS PAUWELLS e JACQUES BERGIER, que vai ter  
 seguimento na Revista «PLANÈTE»...


http://pt.wikipedia.org/wiki/Lu%C3%ADs_Cebola
http://books.google.pt/books/about/Adolf_Hitler.html?id=9ydLAAAAMAAJ&redir_esc=y
http://skocky-alccyone.blogspot.pt/2012/04/estes-doentes-que-nos-governam-pierre.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+blogspot/icgf+(ALCYONE)




«EMBAIXADA EM MOSCOVO» - («EMBAJADA EN MOSCÚ») - JEAN HERBETTE - ´Um diplomata francês fala do perigo bolchevista...`

`




    «EMBAJADA EN MOSCÚ»
(«EMBAIXADA EM MOSCOVO»)
       JEAN  HERBETTE
Embaixador da França na U.R.S.S.
A. L. A. (AV. JOSÉ ANTÓNIO)
MADRID, 1944
(Sucessor de Hipólito de Pablo - Guadalajara)






Mais um exemplo da manipulação da propaganda nazi, porém neste caso com muito mais nível e fundamentação em relação ao ´panfleto` referido nos ´posts`anteriores!
Em Junho de 1940, quando as tropas alemãs entraram em Paris tiveram acesso aos documentos franceses, particularmente aos que se encontravam no «Quai d'Orsay» - Ministério dos Negócios Estrangeiros!
A Alemanha Nazi aproveitou esta oportunidade para reescrever a história.Dessa tarefa encarregou-se
o «Reichsinstitut für Geschichte des neuen Deutschland» («Instituto do Reich para a História da Nova Alemanha»), procurando deste modo a publicação de obras que justificassem a sua política externa!
Quatro historiadores, dirigidos pelo Doutor WALTHER ficaram com o encargo de se dedicar à pesquisa
nos documentos dos arquivos diplomáticos  franceses.
Uma parte desses documentos enviados por JEAN HERBETTE, que foi o primeiro  Embaixador da França na Rússia Soviética, permanecendo nesse posto em Moscovo de 1924 a 1931! 
JEAN HERBETTE, homem de ideias avançadas e simpatizante de um entendimento com o Governo da Rússia vermelha, foi enviado por iniciativa de  Edouart Herriot. 
Num primeiro momento e até a uma visita feita numa das suas idas a França em 1927, ano do décimo
aniversário da Revolução, altura em que a esquerda bolchevique (a mais culta do P.C.U.S.), entrava
em desgraça, HERBETTE deu-se conta da manipulação de que era alvo o P.C.F. , pelo Komintern, e
veio a perceber que não se podia doravante distinguir entre Governo da U.R.S.S. e a INTERNACIONAL
COMUNISTA!...
A partir daí os seu relatórios foram endurecendo posições até concluir que ESTALINE pretendia a
preparação de uma guerra para destruir e dominar as nações ´civilizadas` .
São os vários relatórios enviados para Paris entre 1927 e 1931, que os Nazis decidiram publicar em 1943, em Berlim, através da Editora «DEUTSCHEN VERLAG», com o título «Ein französischer diplomat
über die bolschewistische gefhar». Nesse mesmo ano é editada em Paris por uma entidade até aí
desconhecida e que se intitula: «Les Documents contemaporains» (´Os Documentos contemporâneos`).
O título sugestivo é o seguinte: «Un diplomat français parle du péril bolcheviste; rapports de Jean Herbette, ambassadeur de France à Moscou (1927-1931).
Em 1944 chegou a vez da edição em castelhano, «EMBAJADA EN MOSCÚ», que é aquela cuja capa
está aqui reproduzida! Acontece que JEAN HERBETTE era nessa época ´ex`-embaixador da França em MOSCOVO  e de 1931 a 1937 tinha sido Embaixador da França em MADRID! A partir dessa data retirou-
-se para a Suiça e é quase impossível seguir-lhe o rasto!...
JEAN HERBETTE tem a seu favor o facto de ter sido o primeiro Diplomata a denunciar o anti-semitismo
e a continuar a ser um feroz inimigo da predominância da Alemanha e, apesar de se ter aproximado das posições da «ACTION FRANÇAISE» de CHARLES MAURRAS, defendeu sempre a França do Nazismo!


Os vários relatórios informativos reproduzidos pela propaganda nazi neste livro datam respectivamente de: 19 de Agosto de 1927, 10 de Dezembro 27, 20 de Feveriro de 1928, 6 de Março 28, 14-3-28, 20-0-3-28, 21-3-28, 2-4-28, 16-4-28, 1-5-28, 1-5-28, 22-5-28, 13-8-28, 9-11-28, 10-11-28, 23-7-29, 4-9-29,
7-12-29, 16-12-29, 27-12-29, 22-1-30, 23-1-30, 31-1-30, 19-2-30, 26-2-30, 10-3-30 e 21-6-31!


http://www.google.pt/webhp?hl=pt-PT&tab=ww#hl=pt-PT&qscrl=1&sclient=psy-ab&q=ein+franzosischer+diplomat&qscrl=1&oq=ein+franzosischer+diplomat&aq=f&aqi=&aql=&gs_l=serp.12...13025.16524.0.19594.9.9.0.0.0.0.1426.6259.4-3j3j1j2.9.0...0.0.MnScCIAfoTo&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_qf.,cf.osb&fp=3c0fd30b5c2825e4&biw=1152&bih=777
http://www.histobiblio.com/Jean-Herbette-1878-1960.html
https://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:LvCI7zBv8_sJ:halshs.archives-ouvertes.fr/docs/00/48/47/30/PDF/CR_Dechenere-Herbette_RHD2003_.pdf+ambassadea+a+moscou+-+jean+herbette&hl=pt-PT&gl=pt&pid=bl&srcid=ADGEESgFd2vZ8rWJo_rwVmQjV8wiMDq6LtUbT1Q8Defwr1Z6TnoFYggpgTbkgfXm267nAK4XB1R6T1NeslasiokYepOemmw2qhEA3jA5syKPy-Qws1qSO122O5vnlGMAoWGuuUiPGo50&sig=AHIEtbRPVI3zo3ORnnXy-EzO7G04uzAD2g&pli=1








sexta-feira, 25 de maio de 2012

Ainda «A IGREJA ORTODOXA» - ´Acerca da nova política religiosa de Estaline` (II)


Dada a falta de tempo e porque não seria bom carregar demasiadamente o ´post` anterior, seria necessário dar uma visão mais alargada do «panfleto» aí referido!
INTRODUÇÃO (da responsabilidade dos serviços de propaganda nazi):

«O anti-Cristo Estaline rodeou-se repentinamente de uma auréola de santidade, e fez proclamar o        metropolita  Sérgio como Patriarca de todas as Rússias. O que tramará este consumado mentiroso? A quem pretende ele lançar areia nos olhos? Todo o homem que pensa reconhece imediatamente que este
 passo é ditado por puras razões tácticas de política interna e externa!  
Por um lado, Estaline procura conquistar para si os círculos religiosos da Rússia por meio de concessões hipócritas, e, por outro lado, pretende mistificar os seus aliados e simpatizantes com uma candura e democratização do sanguinário regime bolchevista. Os aliados dos bolchevistas já compreenderam a ardilosa intenção de Estaline, mas continuam a jogar a partida com ele. A prová-lo está o envio a Moscovo do representante da Igreja nacional inglesa, Garbett, arcebispo de York.
Acima de tudo estão porém, os esforços de expansão do imperialismo bolchevista, para cuja efectivação tem que fazer-se adormecer a vigilância dos povos ortodoxos do Sudeste, para os amadurecer para a infiltração do bolchevismo e acabar, finalmente, por incorporá-los no «Paraíso Soviético».
Se lançarmos, porém, uma rápida vista de olhos sobre o passado do regime bolchevista, encontramos, logo na primeira página do seu cadastro, as suas declarações programáticas contra a religião e a Igreja, o seu sistemático assassínio do clero (no seu livro «Depois da Guerra», 1936, o próprio Winston Churchill declara que os ditadores soviéticos assassinaram 28 bispos e 1.219 eclesiásticos, para não falar dos 815.000 camponeses e 355.250 intelectuais). Além disso os bolchevistas destruíram 70.000 igrejas e capelas e todos os conventos russos. Folheando mais algumas páginas, encontramos a sentença de Lenine: «Areligião é ópio para o povo», e as palavras de Estaline: «Aniquilamos o clero reaccinário? Sim, senhor, fizemo-lo. O mais grave, porém, é que ainda não está completamente liquidado. A propaganda anti-religiosa é o meio que deve completar esta liquidação». («Problemas do comunismo», Moscovo, 1938). Desejamos também registar o que disse Jaroslawsky, chefe dos combatentes sem-Deus: «O comunismo e a religião são inimigos e incompatíveis um com o outro. Onde a religião vende, enfraquece o bolchevismo. Nós prrgamos uma impiedade sem tréguas. Temos o dever de destruir toda a concepção religiosa mundial. A religião é um obstáculo para o comunismo». (De «Na frente anti-religiosa»).
Somente agora se pode reconhecer a vasta amplitude duma das maiores manobras da impostura bolchevista dada ao Mundo pelo assassino Estaline, por meio da eleição de um pseudo-Patriarca de todas as Rússias.
De resto, a eleição do chamado «patriarca» Sérgio carece de toda e qualquer base jurídica: não é canónica, contraria as leis da igreja e todos os costumes. O mundo ortodoxo, livre do terror soviético, não aceitou, por isso, a nomeação de Sérgio. Ouçamos as vozes de protesto dos mais eminentes chefes da Igreja Ortodoxa e teólogos. (´Segue-se uma série de declarações, à quais não estou em posição de poder ou deixar de poder saber da sua autenticidade e segurança do texto redigido e aqui apresentado! Estudei Teologia Ortodoxa e Católica e sei que esta eleição levanta graves problemas de ordem canónica! Contudo a decisão partiu de quem estava em território russo livre da pata nazi e não creio nas piedosas e outra razões beneméritas dos alemães! Winston Churchill sempre combateu o bolchevismo, porém após a invasão da URSS, foi aos «Comuns» pedir auxílio para a União Soviética. É sua a célebre expressão: «Se Hitler invadisse o inferno viria a esta «Casa» pedir auxílio para o diabo!...». Quanto à afirmação de a religião «ópio do povo», pertence a Karl Marx e foi publicada em «Os anais Franco-Alemães» em 1844, pertencendo à obra «Crítica da Filosofia do Direito de Hegel», de 1843 - vide, por exemplo, «LOS ANALES FRANCO-ALEMANES», Karl Marx e Arnold Ruge, Edicciones Martinez Roca S. A....
´et j'en passe`!...)



                                       Metropolita ´Anastácio` - Chefe da Igreja Ortodoxa russa 
                                              no estrangeiro, com sede em Belgrado.

                                              ´Damaskin - Arcebispo da Igreja Ortodoxa 
                                           autónoma da Volínia e Podólia (oeste da Ucrânia).

         
                                           ´Hermogen`- Chefe supremo da Igreja croata
                                        pravoslava (sede na tristemente célebre ´Dubrovnic).


          Através da rádio, um padre da Igreja Greco-Ortodoxa expressa ao FÜHRER e às mães 
          do povo alemão os agradecimentos por lhes terem enviado os seus sodados  os seus 
               maridos e filhos, para destruírem definitivamente o bolchevismo na Ucrânia.


              (e, «last but not least») - O Governador, Dr. Frank, recebe o Metropolita 
             ucraniano (da Igerja Ucraniana da Polónia?!...Esta foto é de grande gravidade 
                      pois Hans Frank, foi julgado no Tribunal de Nuremberg, 
                                 por crimes de guerra e sentenciado à morte!...) 






http://skocky-alcyone.blogspot.pt/2008/11/homenagem-ao-espio-do-sculo-sorge.html
http://www.google.pt/webhp?hl=pt-PT&tab=ww#hl=pt-PT&qscrl=1&sa=X&ei=xrm_T9bZKYm70QWJubzVCg&ved=0CAQQBSgA&q=reinhard+gehlen+livre&spell=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_qf.,cf.osb&fp=3c0fd30b5c2825e4&biw=1152&bih=777
http://worldatwar.net/timeline/poland/18-52.html

«A IGREJA ORTODOXA» - ´Acerca da nova política religiosa de Estaline ` - PANFLETO DESESPERADO DE PROPAGANDA NAZI!

                                                          MARECHAL VON PAULUS
                                                              2 de Fevereiro de 1943
                                                          Rendição em Estalinegrado








                                                          O ´ESTALINISMO DE GUERRA`
                                                     Setembro de 1943 Estaline recebe
                                                        no Kremlin 3 Metropolitas da
                                                        IGREJA ORTODOXA RUSSA
                                                  4 de Setembro o Metropolita SÉRGIO 
                                                nomeado PATRIARCA de Todas as Rússias
                                                APÊLO À GUERRA SANTA E PATRIÓTICA



       «A IGREJA ORTODOXA»
´Acerca da nova política religiosa de Estaline`
   Panfleto de Propaganda do III REICH
Impressão: «CURENTUL» - Calea Dudesti 7. Bucaresti
1943
(A Roménia sendo uma nação de língua novi-latina e 
 de Religião Ortodoxa, era de esperar que a propaganda,
 por exemplo, em português fosse realizada em Bucareste!)
12 imagens
75 págs.




A uma primeira análise dá-se de imediato conta do desespero dos dirigentes Nazis, perante o êxito
obtido pelos colaboradores de Estaline em conseguir convocar três Metropolitas da Igreja Ortodoxa
Russa ao Kremlin! Isto em Setembro de 1943, ano da tremenda derrota Alemã em Estalinegrado!
A foto com dois desses dignitários tendo o retrato de Estaline ao centro, deve ter feito tremer de raiva
Hitler e seus sequazes...Molotov tentou que o próprio Estaline estivesse na foto, porém este teve de
se retirar abruptamente para assistir a uma reunião de grande importância!


O panfleto de propaganda esquece grosseiramente que não existe uma Igreja Ortodoxa, mas sim uma ORTODOXIA da qual se reivindicam vária Igrejas Ortodoxas Autocéfalas!...
O Patriarcado Ecuménico de Constantinopla, desde 1453 submetido ao Turco Otomano, agrega em
comunhão várias Igrejas Ortodoxas, porém contrariamente à Igreja Católica Romana, altamente
centralizada, não tem poder para se imiscuir nas Igrejas autocéfalas. O Patriarcado de Moscovo,
pensado e criado como uma Terceira Roma, foi dissolvido por Pedro o Grande e a partir daí passou
por grandes crises. 
Após a luta anti-religiosa e ateia do bolchevismo contra a Igreja, abriu-se um grande fosso que foi
possível preencher durante algum tempo devido à agressão nazi à U.R.S.S.!... Essa aliança, bem como o contributo decisivo dos judeus soviéticos na luta contra o nazismo e a coragem e sacrifício
dos povos da União Soviética...mais de vinte milhões de mortos e mil cidades destruídas!...




Só assim se compreende o interesse alemão na «IGREJA ORTODOXA»...Grécia, Sérvia, Bulgária,
Roménia, Ucrânia, e grande parte da Rússia ocupadas, bem como comunidades Ortodoxas em
países como a Polónia, eram fáceis em explorar o seu ódio a um regime ateu que tanto perseguiu
a Religião! Um clero ferozmente anti-semita (os «pogroms»), amedrontado pela ocupação alemã e
em geral muito ignaro em teologia - ressalva-se os ´monges`, profundamente cultos, mas não fazendo
parte do clero, como na Igreja Romana...


O livrinho começa com uma introdução da lavra de quem foi treinado na ´agitprop` à Göbbels, à qual se seguem protestos e recriminações contra a eleição ´espúria` do Patriarca Sérgio e um reconhecimento de gratidão para com o «REICH» de Mil Anos...

                                               Novembro / Dezembro de 1943 
                                                 CONFERÊNCIA DE TEERÃO


http://ukraine.perso.libertysurf.fr/sobor.htm
http://www.strategium-alliance.com/histoire/le-xxeme-siecle/la-seconde-guerre-mondiale/le-stalinisme-de-guerre/












quinta-feira, 24 de maio de 2012

«A IGREJA CATÓLICA E O NACIONAL - SOCIALISMO ALEMÃO» - ERNESTO COUTINHO - (DOCUMENTOS PONTIFÍCIOS E EPISCOPAIS) - 1942


«POSIÇÃO OFICIAL DA IGREJA CATÓLICA FACE AO NEO-PAGANISMO NAZI»

                                                                       CAPA


                                                                        ROSTO






     «A IGREJA CATÓLICA E O
NACIONAL-SOCIALISMO ALEMÃO»


´DOCUMENTOS PONTIFÍCIOS 
          E EPISCOPAIS`


   ERNESTO COUTINHO 


Serviços de Imprensa e Informação
da EMBAIXADA BRITÂNICA, 1942
(5756.)   28066. Wt.32184 / P3003.  W.P.Ltd. Gp.8
131 Págs.




Esta publicação visa combater junto do público de língua portuguesa o paganismo nazi, anti-cristão
e evidentemente anti-judaico, pois como afirmou PIO XI, em alocução a peregrinos belgas: «SOMOS
ESPIRITUALMENTE SEMITAS»!
Os Serviços de Imprensa e Informação da Embaixada Britânica em Lisboa proporcionaram a Ernesto
Coutinho, cuja identidade desconheço e provavelmente será um pseudónimo, e à Igreja Católica nas
pessoas da Santa Sé e do Episcopado da Europa, a divulgação de enorme cópia de textos anti-nazis
ou, pelo menos de prevenção contra esse ideário!


O livro abre com excertos de uma «CARTA PASTORAL», datada de 1 de Outubro de 1939, do Cardeal
Cerejeira, Patriarca de Lisboa:


«. . . A ATMOSFERA do mundo anda envenenada. A organização oficial da mentira, o prestígio do
triunfo da força material, a sugestão dos instintos e apetites rebelados, o contágio das doutrinas neo-
-pagãs, -ameaçam fazer calar as exigências do ideal cristão.
O cristão, não pode ser indiferente perante Deus e o ateísmo militante, a verdade e o erro, a justiça e a violência, o direito e a opressão. . . .
. . . O culto de guerra é de natureza pagã. Trazem-no em si, como soldados armados o ventre do cavalo de Tróia, as doutrinas que emancipam da sujeição a Deus o egoísmo sagrado da Pátria, num
nacionalismo de exaltado, que não conheceria limitações senão as do interesse nacional; que
elevam a princípio absoluto o direito vital de um povo, com desprezo dos direitos vitais dos outros;
que cantam o dinamismo dos povos fortes e jovens, ainda quando viole a justiça e a moral, ofendendo os direitos de terceiros.
A base necessária da paz é a ideia cristã da cooperação dos povos na justiça e na caridade. Não se pode erigir em fonte de direito a grandeza territorial, populacional, económica ou cultural dum povo, para destruir outro. Por ser vitoriosa, a agressão injusta não dixa de ser condenável sempre à luz de Cristo. . . .
. . . Que é, com efeito, a barbárie senão a falta de organização jurídica defensora do direito e da moral? Impera ela, onde só domina a força. ....»




Os «Documentos Pontifícios e Episcopais datam de 1930, 1931, 1932, 1933, 1934, 1935, 1936, 1937, 1938,
1939-1940 e 1942!


Destaco a condenação do livro de Alfred Rosemberg « O MITO DO SÉCULO VINTE», decidida a 7 de Fevereiro de 1934, na Assembleia Geral da Suprema Congregação do Santo Ofício...tendo sido inscrita a referida obra no Index dos livros proibidos. É apresentada uma longa explicação da obra
e pensamento do balta nazi...
Condenação do livro de Frederic Schmidtke, «A imigração de Israel para Canaan»...
É de realçar a publicação na íntegra da famosa «MIT BRENNENDER SORGE», Encíclica que condena o
nazismo...é a terceira tradução que conheço em português editada em Portugal; aqui já referi as
outra duas, sendo todas as três distintas no modo de composição!


http://skocky-alcyone.blogspot.pt/2011/05/o-cristianismo-perante-o-racismo-lucien.html
http://skocky-alcyone.blogspot.pt/2009/08/afinal-o-corajoso-papa-pio-xi-sempre.html





quarta-feira, 23 de maio de 2012

«A IGREJA E A ACÇÃO CATÓLICA PERANTE O COMUNISMO E A ESTATOLATRIA MODERNA»

                                                                       CAPA

 «A IGREJA E A ACÇÃO CATÓLICA PERANTE
O COMUNISMO E A ESTATOLATRIA MODERNA»


               (Enc.  S. S.  Pio XI)
(«DIVINI REDEMPTORIS» . 19 de Março de 1937)
(«MIT BRENNENDER SORGE» - 14 de Março de 1937 - ´Domingo de Ramos`)
(«CARTA ENCÍCLICA DE PIO XI SOBRE A SITUAÇÃO RELIGIOSA NO MÉXICO»)
  28 de Março de 1937


Trad. VALENTE POMBO


(No rosto do livro consta: 
«TRÊS ENCÍCLICAS DE PIO XI»
Versão Portuguesa de
VALENTE POMBO)
Livraria Lopes da Silva - Editora
Rua Chã, 101 
PORTO
1937 - XII
143 págs.




                                                                       ROSTO




O  título do livro, que condena o Comunismo ateu («DIVINI REDEMPTORIS»), o Racismo nazi (MIT
BRENNENDER SORGE») e o Secularismo anti-clerical do governo do México, é no mínimo ridículo!
A «ESTATOLATRIA», a divinização do Estado é própria do Fascismo italiano e o Papa Pio XI já a
ele se referira na ENCÍCLICA «NON ABBIAMO BISOGNO», de 29 de Junho de 1931!...


O Comunismo é ateu e promoveu a divulgação e imposição através de medidas governamentais na
U.R.S.S. de então, servindo-se de medidas legais e da formação dos grupos dos «SEM DEUS»! Mas
não é uma ESTATOLATRIA...
O Racismo NAZI eleva a ´raça` dita ´ariana` acima de todas as outras e considera os Germanos e
particularmente os Alemães como ´Raça de Senhores` , mas serve.se do Estado para impor a
supremacia da ´Raça`!...
O anti-clericalismo Mexicano, com a proibição do uso em público das vestes eclesiásticas também
não é uma ESTATOLATRIA!
O termo aplica-se na sua acepção integral apenas ao ´FASCISMO` , italiano ou qualquer outro!...


Trata-se por conseguinte de três condenações que se aplicam respectivamente ao Comunismo, ao
Nazismo e ao Anti-Clericalismo mexicano!


Quem, como o detentor deste ´blog` sabe, antes do CONCÍLIO VATICANO II aconteciam ´confusões`
deste tipo...








«O CRISTIANISMO PERANTE O RACISMO»
ENCÍCLICA «MIT BRENNENDER SORGE»
(em portugês «É COM VIVA APREENSÃO»)
foi traduzido por um homem sério e responsável
José Pinto Carneiro (1916-2002), natural de Resende;
verdadeiramente anti-NAZI / FASCISTA que traduziu 
a encíclica a partir da versão francesa de «Lucien Valdor»,
pseudónimo usado na resistência ao nazismo pelo
Padre e Teólogo de alto nível e coragem que foi
ROMANO  GUARDINI !!!
Este livro já foi por nós postado em 16 de Maio de 2011!






http://skocky-alcyone.blogspot.pt/2011/05/o-cristianismo-perante-o-racismo-lucien.html
http://skocky-alcyone.blogspot.pt/2009/08/afinal-o-corajoso-papa-pio-xi-sempre.html


terça-feira, 22 de maio de 2012

ANÁLISES.: «O Isolamento Espiritual da Alemanha» - Francesco Nitti e outros em «LE MOIS» - ´Synthèse de l'activité mondiale` - Du 1er Mai au 1er Juin, 1933 - Maulde et Renou

                                                                CAPA do Nº 29
                                                        1 de Maio a 1 de Junho de 1933


           «LE MOIS»
´Síntese da actividade mundial`
De 1 de Maio a 1 de Junho de 1933
No. 29
Director-Gerente: Émile Maulde
319 págs.


Este número (raro) de «LE MOIS» é inestimável, pois permite ao longo das várias rubrica que é hábito
conter: (A POLÍTICA, A ECONOMIA, A VIDA SOCIAL, AS LETRAS E O TEATRO, AS ARTES,
AS CIÊNCIAS) , melhor entender como reagiram certas personalidades da vida pública aos factos
consumados ou a consumar pela aliança NAZI-FASCISTA!


Nesse ano HITLER inicia com a brutalidade que o caracterizava a destruição de tudo o que de democrático tinha deixado a República de Weimar! Weimar foi uma República de Cultura e de boa relação cultural entre
homens de várias nações, o que era raro na Alemanha, sempre virada para si própria, contrariamente à
Itália, como refere EMIL LUDWIG na crónica contida neste número e intitulada: «HITLERISMO E
MUSSOLINISMO»! E. Ludwig, apesar da sua ligação à Alemanha, pende para a cultura de cariz 
universalista da Itália sem deixar de mostrar a sua simpatia para com o Duce que lhe concedeu uma longa entrevista, que redundou em livro!...
Em 1933 MUSSOLINI iniciou a preparação para a invasão e conquista da Etiópia! Nesse mesmo ano o
N.S.P.D. de Hitler apoderou-se da Cidade-Livre de DANTZIG , sendo em breve Hermann Rauschnind
foçado a fugir para os EUA, ficando a governar ditatorialmente Albert Foster! A sua perseguição aos judeus, aos democratas, aos comunistas e todos os que discordavam do Nacional.Socialismo!


É de reter a profunda análise de FRANCESCO NITTI ex- Presidente de conselho da Itália, que num primeiro momento colaborou com o Duce, mas decidiu emigrar em 1924! O título da sua crónica é
significativo: «O ISOLAMENTO ESPIRITUAL DA ALEMANHA»!


«O primeiro resultado mais evidente da ditadura hitleriana, consite no isolamento da Alemanha. As violências contra os partidos da democracia e acima de tudo a perseguição dos Judeus fez esfriar os
próprios e mais sinceros amigos do povo alemão.
Fui acusado a seguir à Guerra de germanofilia. Nas conferências internacionais de Paris. de Londres, de 
San Remo, nos meus discursos como chefe do governo italiano, bem como nos meus livros, reconheci os
erros dos tratados, mas também de os ter em linha de conta....
Eu próprio neste momento, perante uma Alemanha nacionalista e belicista ...vejo que os homens políticos
mais notáveis da Europa e da América se colocam nas minhas posições de preocupação!...
Qual a razão que levou a Alemanha a isolar-se espiritualmente , já em 1914?
....
Creio que nenhuma propaganda contra a Alemanha será mais eficaz que o movimento hitleriano, porém se esse movimento não se transforma, se não perde o seu carácter originário, então arrisca-se a conduzir a
um imperialismo ainda mais fatal que o de Guilherme II e dos seus infelizes colaboradores!...»

http://www.ponteiro.com.br/mostrad0.php?w=6071
http://forums.tibiabr.com/showthread.php?t=113103
http://en.wikipedia.org/wiki/Emil_Ludwig
http://skocky-alcyone.blogspot.pt/2009/08/frencisco-rolao-preto-seleccao-de.html


                                          Ao alto a «Guarda de Honra» do Imperador da Etiópia
                                          em baixo à direita o Imperador da Etiópia e à esquerda 
                                             o recém reeleito Presidente Moscicky da Polínia

                                               À esquerda Leon Fraser, à direita o Dr. Schacht
                                                ao fundo, o novo museu geológico de Londres, 
                                               onde se reunirá a conferência económica mundial

                                            Ao alto: ´Anticipação` ... acerca do trans-sahariano,
                                            à esquerda, pela primeira vez em sessenta e três anos
                                              o Papa Pio XI, abençoa a população da cidade de 
                                           Roma; por trás André Siegfried e à direita Emil Ludwig


«RÉVOLTE ARMÉE?» (REVOLTA ARMADA?) -´Revelações sobre a tentativa de insurreição comunista no dealbar da Revolução nacional` - Berlim, 1933

                                                                         CAPA

                                                                   CONTRA-CAPA
                                                                      ROSTO






       «RÉVOLTE ARMÉE?»`
    («REVOLTA ARMADA?»)
´Révélations sur la tentative dínsurrection 
communiste à la veille de la Révolution Nationale`
(´Revelações sobre a tentativa de insurreição
comunista no dealbar da Revolução nacional`)


pelo Dr. ADOLF EHRT


Publicada pela União das associações
anti-comunistas da Alemanha
ÉDIÇÕES ECKART / BERLIM-LEIPZIG / 1933


Título original: 
«Gesamtverband deutscher antikommunistischer Vereinigungen»
ECKART-VERLAG, BERLIN-1933
IMPRESSÃO: EDMUND GAILLARD, BERLIN
Editado e impresso na Alemanha


Hans Martin Tibor-Leipzig executou os desenhos da capa segundo as fotografias originais. A contra-
-capa mostra a imagem do nacional-socialista Friedrich Schultz, assassinado; face a ele, o assassino
de Horst Wessel, Ali Höhler; por baixo, ao fundo um ´stock`de armas.




NOTA: Como é óbvio esta publicação em formato de revista, com 188 págs., é um relato de forte
           propaganda ´nazi` !...


A publicação está recheada de imagens e de informações que atingem pormenores, até à exaustão,
sobre o PARTIDO COMUNISTA DA ALEMANHA (KPD), que começou a ser atacado e provocado já em
1932, dada a benevolente e colaborante atitude de Von PAPEN! O ano de 1933 permitiu ao NSPD o
desmantelamento quase completo do KPD! Isto foi facilitado pela política de distensão de ESTALINE,
que, através do KOMINTERN, a «INTERNACIONAL COMUNISTA» (III INTERNACIONAL, formada em MOSCOVO em 1919), ordenou que o KPD se opusesse ao SPD (PARTIDO SOCIAL DEMOCRATA - que
pertencia à II INTERNACIONAL); não se ficou por aqui, pois instigou as massas trabalhadoras a não
aderir às greves e acções convocadas pelo SPD!
LEÃO TROTSKY, no exílio ainda apelou para a unidade escrevendo «REVOLUÇÃO E CONTRA-
.REVOLUÇÃO NA ALEMANHA», mas a sua análise aguda e pertinente, da imperativa aliança na
luta formando uma frente única: KPD/SPD: pois esta publicação é a prova da razão que lhe assistia!




ÍNDICE DAS MATÉRIAS:


I - Sistema e história do comunismo na Alemanha


II - Conjura


III - Traição


IV - Alta traição


V - A insurreição armada


   a) Mobilização
   b) Terrorismo nas massas
   c) O último combate
   
VI - A tarefa


NOTA: A «União das Associações anti comunistas da Alemanha», compreende todas as organizações alemãs qualificadas - eclesiásticas, científicas e privadas - que consagram os seus mais sérios esforços ma luta contra o comunismo e ao estudo das suas concepções. Nela se filiam, entre outras: 
a ´Liga da Imprensa evangélica para a Alemanha`, o ´Serviço católico de investigações relativas ao Bolchevismo e ao Livre-Pensamento´(Dr. Algermissen) e o ´Instituto científico russo`. Os trabalhos da 
«União» inspiram-se no próprio espírito das ciências exactas e agem sem ´parti pris` .
É igualmente segundo estes princípios que elaborou a «Memória respeitante ao movimento revolucionário comunista na Alemanha», obra da casa Walter de Gruyter & Co., Berlin-Leipzig, que
editou por ordem das autoridades competentes. As constatações que aí são formuladas assentam
exclusivamente sobre sentenças do Supremo Tribunal do Reich, podendo qualquer leitor tomar
conhecimento pela leitura do seu texto. ....


«União da associações anti-comunistas da Alemanha», sociedade registada,
 Berlin SW 11, Europhaus







segunda-feira, 21 de maio de 2012

«A CRISE DAS SOCIEDADES INDUSTRIAIS» - J.K. GALBRAITH - ´Cahier Nouvel Observateur` - 2 de Fevereiro de 1971



´Le  Nouvel  Observateur
«A CRISE DAS SOCIEDADES INDUSTRIAIS»
 J. K.  GALBRAITH


COLABORAÇÃO DE
PIERRE MANDES-FRANCE  - MICHEL ROCARD
MICHEL ALBERT - ROGER GARAUDY`


Tradução de Pedro Jordão
Capa de Mendes de oliveira


«LE NOUVEL OBSERVATEUR, 1971»


MORAES EDITORES
LISBOA, 1972
n.º ED. 481
167 págs.




Esta compilação, a primeira da colecção «Cadernos Nouvel Observateur», contém o relatório das confereências feitas em Paris. em Fevereiro de 1971, pelo economista americano John Kenneth
Galbraith, e do debate a que deu lugar. J.K.G., Pierre Mendès-France, Michel Albert, Roger Garaudy e Michel Rocard reviram e enriqueceram o texto com as suas intervenções!
Qual a razão do interesse de um número tão considerável de ouvintes, sobretudo de gente nova, se interessou pelas ideias formuladas em inglês por  um economista de audiência restrita que, pelo menos aparentemente, apenas faz parte da ala contestatária do liberalismo americano? A resposta está contida neste caderno. Que o ler descobrirá que, depois de se ter largamente discutido a questão de saber quais podiam ser as relações entre Galbraith e a esquerda socialista ou marxista francesa, os ouvintes desta conferência - e os leitores que tenham acesso ao caderno - foram convidados a pronunciar-se sobre o próprio fundo das análises e das previsões de John Kenneth Galbraith.
Dá-se o facto, evidentemente deste economista provocar uma curiosidade apaixonada. Não foi por acaso que, há dezenas de anos, quando lhes perguntaram quais os convidados que gostariam de receber na sua universidade, os estudantes de Berkley responderam: «CHE GUEVARA, BOB DYLAN e JOHN KENNETH GALBRITH». Um anti-conformismo a toda a prova e um humor tremendamente corrosivo fizeram de Galbraith o contrário de um ´sequaz`. A sua obsessão cinsistia na descoberta das ideias económicas que regem a evolução, abalam as ideologias e, sem que disso se desconfie, provocam as revoluções. Era, no sentido integral do termo, um agitador. Todos compreenderam que
antes de o contetarem necessário era compreendê-lo!...







                                                         «LE NOUVEL OBSERVATEUR»
                                                            ´SUPLEMENTO ESPECIAL`




http://www.priceminister.com/s/garaudy+r
http://referentiel.nouvelobs.com/archives_pdf/OBS0343_19710607/OBS0343_19710607_005.pdf


«O TEMPO E O MODO» - ´Revista de Pensamento e Acção` - Março/Abril 1965, nº duplo 25-26 (J.K. Galbaith: ´Foi Ford uma Fraude?`)




   «O TEMPO E O MODO»
´Revista de Pensamento e Acção`
Director: António Alçada Baptista
N.os 25/26 - Março/Abril 1963
Número submetido a censura prévia


JOSÉ LAVRADIO (António Alçada Baptista e A Redacção)


    OS  MITOS


M. S. Lourenço: O Mythos Déloi
António Alçada Baptista: Notas para uma Moral Mitificada
Vasco Pulido Valente: Mitos e Oráculos
Vasco Vieira de Almeida: O Mito do «Self-Made-Man»
Rui Cunha: Os Mitos da Técnica e os Técnicos do Mito
António Osório: Memorial dum Mitólogo
José Vaz Pereira: Presença do «Star-System»
José Cardoso Pires: O mito da mulher: O «Home» - Solidão e Ar Condicionado
José Cutileiro: Os Super-portugueses: Algumas Notas sobre o Sport Lisboa e Benfica


    ANTOLOGIA


J.  K.  Galbraith: Foi Ford uma Fraude? (págs. 278-289)
Gilbert Ryle: O Mito de Descartes


José Palla e Carmo: A Poesia de T.S. Elliot (II)


NOTICIÁRIO CRÍTICO
CRÍTICA DE ARTES E LETRAS




Antes de mais a dolorosa notícia do falecimento em acidente de automóvel de JOSÉ LAVRADIO, o 
«TEMPO E O MODO» começa com José Lavradio a ter os seus mortos!...


Para além da qualidade dos conteúdos da Revista o que chamou a minha atenção foi ter encontrado a tradução integral em língua portuguesa, em letra muito pequena, de todo o nono 
capítulo de «THE LIBERAL HOUR» (1960), intitulado: ´Was Ford a Fraud?` que na versão original
se encontra entre as págs. 141-163; em português: «FOI FORD UMA FRAUDE?»!...


(«Nota da Redacção - Este estudo sobre Ford pretende apenas examinar um ´self-made-man`em acção e também os malefícios que ele e o sistema que o permite acarretam. Tal a intenção expressa de Galbraith, tal a nosa.»)




G . K.  GALBRAITH situa magistralmente a figura mítica de HENRY FORD inserido no seu tempo e
situação histórica! O seu sucesso foi espantoso...mas, poderia continuar assim, quando a necessidade
da «tecnoestrutura» se tornava imperativa?! 


Com a devida vénia transcreverei o último parágrafo, cuja leitura atenta leva a compreender a escrita
e publicação de «O NOVO ESTADO INDUSTRIAL» !...




«Finalmente, mais uma palavra para a explicação de, pelo menos, alguns dos seus erros (de Ford).
Ford nasceu em 1863. Emergiu como figura nacional em 1914, o ano dos «cinco dólares diários», quando tinha cinquenta e um anos. Muitos dos erros que contradizem a sua preocupação de dignidade foram cometidos depois. Qualquer ponto de vista razoável sobre Ford deve ter em linha de conta que, nos anos em que a luz incidiu mais fortemente sobre ele, já tinha ultrapassado a juventude. O sucesso imunizara-o contra conselhos e advertências; e durante toda a sua vida tinha vindo a constatar que a excentricidade e até a mera tolice podem muitas vezes passar por génio. ....
Ford acreditou-o.»


http://www.archive.org/stream/liberalhour031268mbp/liberalhour031268mbp_djvu.txt

http://gestaoemrh.forumeiros.com/t32-tecnoestrutura





Pesquisar neste blogue