Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

«LE TEMPS DES RÉFORMES» - ( La crise de la Chrétienté. L'éclatement 1250-1550 ) «O TEMPO DAS REFORMAS»




Nova edição da obra abaixo mencionada
Pierre Chaunu
Historiador de confissão protestante e
de alto níve como gistoriador!
Pluriel




2º  Vol. de
 « LE TEMPS DES RÉFORMES»
(«O Tempo das Reformas»)
II - ´La Réforme Protestante`
      ( ´A Reforma Protestante`)
Pierre Chaunu
Complexe - 1984

(Pierre Chaunu aceitava contrariamente a outros 
historiadores a existência de uma «Reforma Católica»,
originada no Concílio de Trento!)




                                                  Pierre Chaunu (1923-2009)









«LE TEMPS DE RÉFORMES»
´La crise de la Chrétienté` 
L'éclatement 1250-1550 )
Pierre Chaunu
Le monde sans frontières
Colection dirigé par François Furet
Fayard
Paris - 1975 
570 págs.
ISBN/2-213-00034-4







«MARTINHO LUTERO E AS 95 TESES DE PROTESTAÇÃO DA FÉ»

«A REFORMA DE LUTERO»

                                                         1ª Volume (591 págs.)


                                                            2º Volume (472 págs.)


«LA REFORME DE LUTHER»
   J. Lortz
Théologie sans frontières
Tradução: Daniel Olivier
Les Éditions du Cerf
Paris - 1970
2 vols.
1ª vol. :
Depósito Legal: 3º trimestre 1970
Nº de edição 5969 - Nº IV - 70 - 517
2º vol.:
Depósito legal: 4º trimestre 1970
Nº de edição 5970 - Nº VI - 70 - 506
Original: «Die Reformation in Deutschland»
Verlag Herder KG im Breisgau 1962

As Noventa e Cinco Teses.

Inspirado por vários motivos, particularmente a venda de indulgências, na noite anterior ao Dia de Todos os Santos, a 31 de outubro de 1517, Lutero afixou na porta da Igreja de Wuttenberg, sua teses académicas, intituladas "Sobre o Poder das Indulgências". Seu argumento era de que as indulgências só faziam sentido como livramento das penas temporais impostas pelos padres aos fiéis. Mas Lutero opunha-se à ideia de que a compra das indulgências ou a obtenção das mesmas, de qualquer outra maneira, fosse capaz de impedir Deus de aplicar as punições temporais. Também dizia que elas nada têm a ver como os castigos do purgatório. Lutero afirmava que as penitências devem ser praticadas diariamente pelos cristãos, durante toda a vida, e não algo a ser posto em prática apenas ocasionalmente, por determinação sacerdotal.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A «LAICA» EUROPA: LAICIDADE E LAICISMO PARA O QUE LHES CONVÉM!...

Desejo carnal complica a vida, diz Dalai Lama
Há 6 dias

LAGOS (AFP) — O Dalai Lama estimou nesta sexta-feira que o desejo carnal, voltado para a satisfação imediata, complica a vida, enquanto a castidade proporciona grande independência e tranqüilidade de espírito.

"A tensão sexual, o desejo sexual, acho, proporcionam uma satisfação instantânea e, com freqüência, conduzem a muitas complicações", explicou o chefe espiritual dos tibetanos durante entrevista a jornalistas, entre eles o da AFP, por ocasião de uma visita particular à Nigéria.

Num hotel de Lagos, o Dalai Lama explicou que a vida de casal tinha "muitos altos e baixos".

"Naturalmente, enquanto seres humanos (...) uma espécie de desejo sexual acontece mas, então, usa-se a inteligência humana para constatar que esses casais têm sempre problemas. Em alguns casos, há suicídios, mortes".

"Então, é essa nossa consolação. Passamos por cima de alguma coisa mas se compararmos essa situação em relação a uma vida inteira, é melhor. Mais independência, mais liberdade", considerou o prêmio Nobel da paz acrescentando que a abstinência causava "muito menos altos e baixos".

"Muito agarramento aos filhos, à parceira (...) é um dos obstáculos à tranquilidade de espírito", segundo o Dalai Lama que citou o exemplo dos casais que envelhecem se preocupando com a morte próxima.

Pregando o "desapego", destacou, no entanto, que o desejo, quando não é carnal, é um sentimento sem o qual "a vida não teria sentido".

O Dalai Lama conclui uma visita de três dias à Nigéria onde foi convidado por uma fundação para pronunciar uma conferência. Negou-se a fazer declarações políticas, destacando o caráter privado da viagem.

http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5h6xAErL_cvDHioV8bSGn1E8pTunQ



Pesquisar neste blogue