Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

«RAIZ & UTOPIA» - CRÍTICA E ALTERNATIVAS PARA UMA CIVILIZAÇÃO DIFERENTE - Nº1 PRIMAVERA DE 1977


Por força de uma contestável disposição legal que não admite uma direcção colectiva, foi preciso designar de entre os promotores desta revista um director. Declaramos todavia que o «director» e os «directores adjuntos» se consideram solidariamente responsáveis pela orientação e pelas tomadas de posição de ´Raiz & Utopia`.

Esta revista não recebe qualquer subsídio nem está ligada a qualquer instituição ou qualquer empresa capitalista, e a sua sobrevivência depende unicamente dos seus leitores. A colaboração fornecida para este número foi-o a título gratuito graças à compreensão dos que connosco cooperaram.
       ´Raiz & Utopia`está aberta a toda a colaboração, não se responsabilizando, contudo, a direcção pela publicação dos originais não solicitados.

DIRECTOR E DIRECTORES-ADJUNTOS

          António José Saraiva
          Carlos L. Medeiros
          José Baptista

EDITORES

          António José Saraiva
          Carlos L. Medeiros
          José Baptista

IMPRESSÃO E DISTRIBUIÇÃO

          Livraria Bertrand, S.A.R.L.



SUMÁRIO



«Os burocratas, tecnocratas e salvadores políticos dos vários mundos, independentemente das suas diferenças de situação e doutrina, estão empenhados em consolidar um sistema em que a grande maioria dos homens executa mecanicamente as decisões tomadas por alguns, torna-se cada vez mais urgente restituir a cada homem a sua humanidade, quadriculada e esquartejada num mundo cada vez mais programado. «RAIZ & UTOPIA» não propõe uma nova doutrina no plano político e ideológico em que se exibem os actores do dia. Não contribui para o discurso dominante. Tão-pouco alinha com o que é moda chamar «Ciência». Recusa a ilusão do «Progresso» considerando que a famosa «Marcha da Humanidade» é um comboio num túnel em forma de funil. Os problemas de raiz estão hoje escamoteados no discurso tecnoburocrata, é preciso mudar radicalmente a problemática a partir do quotidiano, transformar a atitude do espírito perante as coisas, A utopia não é impossível: é um norte, a leste ou a oeste das ilusões confortáveis que hoje são servidas como ópio às massas resignadas.»

«ABRIU EM PORTUGAL» (atenção ao facto de em certos lugares da Internet Abriu é Abril, o que subverte a inovadora e criativa intenção da saudosa e malograda Helena Vaz da Silva!)

                                     «Sei mal o que é a liberdade, mas a libertação sei o que é» - A. Malraux

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue