Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

«AS AVENTURAS DA MERCADORIA» - PARA UMA NOVA CRÍTICA DO VALOR - ANSELM JAPPE


Ouvrage publié avec le Concours du Ministère Français Chargé
de la Culture - Centre National du Livre
(Obra publicada com o apoio do Ministério da Cultura Francês
- Centro Nacional do Livro)




   «AS AVENTURAS DA MERCADORIA»
´PARA UMA NOVA CRÍTICA DO VALOR`
 ANSELM JAPPE
Tradução: José Miranda Justo
Revisão: Carla da Silva Pereira
Capa: Ricardo Tadeu Barros / TT design
Paginação: Leonel Matias, c/Carla da Silva Pereira
ANTÍGONA, 2006
Depósito legal n.º 239029/06
            ISBN 972-608-176-9 


Título original: 
    «LES AVENTURES DE LA MERCHANDISE»
´POUR UNE NOUVELLE CRITIQUE DE LA VALEUR»
ÉDITIONS DENOËL, 2003




Anselm Jappe nasceu em 1962 na Alemanha, tendo feito os seus estudos em Itália e em França. É autor do livro ´Guy Debord` . publicado em vários países, incluindo o Brasil (editorial Vozes).


O presente livro não pretende apresentar descobertas inéditas. A crítica do valor tem os seus antecedentes nos anos vinte com dois trabalhos: «História e consciência de classe» de György Lukács, e os Estudos sobre a teoria do valor, de Isaac Rubin. Continua depois por entre as linhas dos escritos de Theodor Adorno, para encontrar o seu verdadeiro nascimento por volta de 1968, quando em diferentes países (Alemanha, Itália, EUA) autores como Hans-Jürgen Krahl, Hans-Georg Bakhaus, Lucio Colleti, Roman Rosdolsky ou Fredy Perlman trabalham em torno do mesmo assunto.
Desenvolve-se posteriormente, a partir da segunda metade dos anos oitenta, com autores como Robert Kurz, na Alemanha, Moishe Postone, nos Estados Unidos, e Jean-Marie Vincent, em França, os quais, sem contacto entre si, chegaram, por vezes literalmente às mesmas conclusões. 
Como é evidente, este facto não se explica por um crescimento da inteligência dos teóricos, mas sim pelo fim do capitalismo clássico: esse fim significou ao mesmo tempo o fim do marxismo tradicional, desbloqueando assim a possibilidade de uma perspectiva sobre um outro terreno da crítica social.
Deste modo, sucede que na sua maior parte as teses do presente livro já foram sendo expostas aqui e ali ao longo das últimas décadas por diferentes autores, sobretudo na Alemanha, mas também em Itália, nos Estados Unidos e noutros locais. Se apesar disso, este livro houver de suscitar um certo interesse, será pelo facto de tentar resumir de um modo acessível a um público não especializado um conjunto de pesquisas que até aqui permaneciam dispersas em obras eruditas ou em revistas de circulação limitada.




Há relativamente poucos anos muita gente quis acreditar no «fim da história» e no triunfo da economia de mercado e da democracia liberal. Mas o «fim da história» não durou muito. A desordem reinante vê-se uma vez mais posta em causa por todo o lado. Na maior parte das vezes, porém, este descontentamento não sabe o que efectivamente quer. A ausência de um corpo teórico de natureza crítica, que seja abrangente e consequente, impede os sujeitos que queiram pensar criticamente a desordem de alcançarem um conhecimento fundado das causas e das consequências da situação em que estão mergulhados. É notória a necessidade de uma teoria explicativa que desça aos fundamentos do problema. O que é afinal uma «mercadoria»? Que significado tem o facto de uma sociedade assentar na mercadoria? É fundamental dispormos de uma crítica das categorias de base da modernização capitalista enquanto tal, e não apenas da respectiva distribuição ou aplicação. A crítica do valor, do trabalho abstracto e do dinheiro elaborada por Karl Marx já não é uma espécie de filosofia secreta e tornou-se extremamente actual.
Este livro sintetiza o desenvolvimento dado por Marx à crítica da mercadoria, apresenta os autores que a ela se referem e a tomaram como ponto de partida, caracteriza a história da sociedade assente sobre a mercadoria, estabelece ligações com a antropologia cultural e discute alternativas possíveis à sociedade mercantil.

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue