Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

sexta-feira, 8 de julho de 2011

«PORTUGAL NOVO: MOVIMENTOS E PARTIDOS POLÍTICOS»



«PORTUGAL NOVO: MOVIMENTOS E PARTIDOS POLÍTICOS»
 ´O POVO QUER SABER`
Documentos de trabalho ´SEDES`
RAFAEL PRATA
CARLOS SANTOS FERREIRA
VITOR MELÍCIAS LOPES
EDIÇÃO DE «O EMIGRANTE-VOZ DE PORTUGAL»
LISBOA, 1974




INTRODUÇÃO:


Este trabalho aparece sob o impulso de duas ideias contrárias: por um lado, é prematuro; por outro lado é urgente.
Prematuro, porque os movimentos e partidos políticos, vindos do exílio e da clandestinidade, ou apressadamente constituídos após o 25 de Abril, são uma realidade ainda demasiado recente e imprecisa. O panorama partidário português está muito longe de poder ser delineado com rigor: a sua modificação processa-se a ritmo quase diário.
Urgente, porque à alegria festiva da libertação se sucedeu, com espantosa rapidez, a proliferação dos grupos políticos. As paredes estão cobertas de siglas, slogans e de palavras de ordem. Os jornais enchem-se diariamente de manifestos e comunicados, e muitos mudaram de orientação política. Os comícios sucedem-se. Os jornais partidários também. E o Povo interroga-se O POVO QUER SABER -
- agora e já.
Os Autores sentiram a necessidade de se esclarecer e de ajudarem a dar alguma satisfação a esta vontade popular de compreender, pelo menos, a tendência política e as linhas gerais do pensamento dos vários agrupamentos.
Vencendo a natural repugnância de fazerem obra ´prematura` , meteram ombros à obra que era ´urgente` e apresentaram um primeiro estudo sobre o movimento partidário no «Portugal Novo».
Os meios limitados de que puderam dispor e o tempo curto utilizado na investigação explicam as deficiências que as pessoas melhor informadas ou os membros de alguns movimentos e partidos irão encontrar nesta resenha. O trabalho não será exaustivo: estamos ainda longe das sete dezenas de grupos referidas pelo Movimento das Forças Armadas após o 25 de Abril. Algumas informações não serão absolutamente exactas: as fontes consultadas nem sempre eram coincidentes.
O primeiro objectivo dos Autores é que a obra possa ser útil para esclarecer e interessar os portugueses na participação de todos na vida política, que é afinal, a participação de todos na sociedade. Por isso ela surge integrada nesta nova colecção popular.
O segundo objectivo é contribuir para que outros realizem ou ajudem a realizar um trabalho de divulgação mais perfeito, enviando, por exemplo, esclarecimentos, críticas ou documentação que possibilitem suprir as lacunas desta edição. E, por isso, ela surge como um «documento de trabalho SEDES», associação em que os Autores estão integrados. Finalmente, algumas palavras quanto ao método seguido. Resolveu-se incluir todas as forças políticas em presença (movimentos, grupos e partidos) que se pretendem de âmbito nacional, sem os distinguir entre si quanto à sua natureza associativa, porque não existe legislação que defina a extensão e as formas de organização e de actuação de um partido político ou de outras modalidades de associação partidária.
Cada agrupamento foi referenciado pela sua designação (por extenso e em abreviaturas), sede, história breve, e síntese dos principais objectivos, nomes conhecidos de fundadores ou outros membros e órgãos de imprensa próprios. Deu-se maior destaque aos grupos e partidos de maior projecção ou que se apresentam melhor definidos, em relação aos quais se analisou a respectiva posição perante as questões do regime  de propriedade; participação, cogestão e autogestão; planemento económico; reforma agrária; nacionalizações; futuro das colónias.
A sequência pela qual se apresentam os vários grupos obedece a uma classificação nos quadrantes habituais (e imprecisos) da terminologia política da extrema-esquerda à extrema-direita. É óbvio que a escassa informação sobre alguns e a real indeterminação de outros tornam problemático e discutível o critério seguido - como qualquer outro.


                                                                        Lisboa, 13 / 8 / 74


NOTA: Após uma extensa enumeração das associações políticas, seguem-se os seguintes ´Anexos`.


ANEXO I - DOCUMENTO DE TRABALHO SEDES (3-6-74) - «Para um socialismo em liberdade»
ANEXO II - LISTA ALFABÉTICA DE OUTROS GRUOS
ANEXO III - LISTA ALFABÉTICA DE JORNAIS (Esta lista não inclui exclusivamente os órgão oficiais dos
                                                                        grupos indicados,.)


ÍNDICE DE MOVIMENTOS E PARTIDOS POLÍTICOS

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue