Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

«LE JUDAÏSME ANTIQUE» - MAX WEBER




«LE JUDAÏSME ANTIQUE»
      MAX  WEBER
Tradução do Alemão por: FREDDY  RAPHËL
RECHERCHES EN SCIENCES HUMAINES - 31
Études de sociologie de la religion 
  TOME TROISIÈME
LIBRAIRIE PLON
PARIS. 1970
615 PÁGS.


Título original: 
´Gesammelte Aufsäze zur Religionssoziologie, Band III
       (Tübingen, Mohr, 1920)


O ´Judaísmo Antigo` é o terceiro tomo da edição francesa dos ´Études de sociologie de la religion` de MAX WEBER. O primeiro tomo ´L'étique protestante et l'esprit du capitalisme'  (há tradução portuguesa!), foi igualmente publicado nesta colecção.


Foi no outono de 1916 que MAX WEBER (conhecido como o ´MARX do capitalimo`), mergulhou no estudo do Judaísmo antigo e que releu com imensa atenção a TORA, os PROFETAS e os ESCRITOS,
(TANAKA), que já tivera ensejo de analisar no decurso da redacção de ´Economia e sociedade` (Wirtschaft und Gesellschaft), editados neta mesma colecção da PLON, na Série Vermelha!. Em 1917e 1919, publicou nos seus ´Archiv` primeiros resultados do seu estudo sobre o judaísmo antigo. Weber propunha-se analisar ainda os Salmos, o Livro de Job e o judaísmo Talmúdico, porém a morte impediu-o de levar acabo o seu projecto! Um desprendimento soberano e uma impassibilidade serena do seu destino caracterizavam MAX WEBER ao mais alto grau. Talvez dissesse ainda hoje, como era seu hábito: ´Aquilo que não posso fazer, outros o farão!»


MAX WEBER aborda de modo ´sui generis` - ´O Problema sociológico da história religiosa do povo judaico`: 


-É por referência ao sistema de castas do hinduísmo que chegamos a melhor compreender o que há de específico no judaísmo antigo. Tanto no plano da história religiosa como da sociologia. Pois quem eram, por conseguinte os judeus, sociologicamente falando? Pura e simplesmente um povo ´pária`. , ou dizendo de outro modo, como nos mostra a índia, um povo-hóspede (Gastvolk), vivendo num meio estrangeiro do qual é separado ritualmente, formalmente ou efectivamente. Daqui decorrem o seu ´guetto` voluntário, que precedeu de longe a reclusão que lhe foi imposta.
Ora: 
1) O judaísmo era, ou antes tornou-se, um povo pária num mundo que ignorava o sistema de castas.
2) As promessas de salvação, das quais era inseparável a singularidade ritual do judaísmo, diferem de um modo absoluto das castas indianas. Para os párias da Índia, a recompensa depende de aceitar a sua condição, para haver uma ascensão na reencarnação seguinte. Portanto a aceitação de algo imutável!
Para os judeus a promessa era precisamente o inverso: a ordem social do universo é a oposta à verdadeira ordem que será restabelecida no ´fim dos tempos`, e um dia, no seguimento de uma como que mutação, a ordem real será substituída por esta ordem espiritual na qual os judeus reencontrarão a sua posição de povo superior (Herrenvolk).
3) É a estrita observância dos ritos, e a segregação que resulta no que respeita ao meio social ambiente, consistia e derivava dos mandamentos que indicavam ao povo judaico manter-se como um povo ´separado`!
O judaísmo como religião revelada, impõe ao povo eleito ensinar a verdade da TORA e levar os ´povos` à situação de assimilação e entrada na verdade que conduz ao reino!



       

Pesquisar neste blogue