Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

«ISRAËL ET LE GÉNOCIDE INACHEVÉ» ( «ISRAEL E O GENOCÍDIO INACABADO» ) - Jacques Givet - Tribune Libre - Plon





«ISRAËL ET LE GÉNOCIDE INACHEVÉ»
(«Israel e o Genocídio Inacabado»)
Jacques Givet
Tribune Libre
Plon
Paris - 1979
ISBN: 2-259-00433-4

(Outra obra deste actualíssimo autor:
   «La Gauche Contre Israel »
´Essai sur le néo-antisemitisme`
J.-J. Pauvert, 1968)


Panfleto político e ensaio filosófico, este livro apresenta uma análise original da relação frequentemente doentia, porém adquirida há já séculos entre o judeu e o não-judeu. E que o anti-sionismo conseguiu transformar em negação de Israel, seguindo um percurso que reata os nostálgicos do genocídio inacabado, os ´Guetos` , os ´Pogroms`, os campos de extermínio, em suma o passado. Hoje, porém, as cartas foram baralhadas, o uso de invenções falsas e de falsificações mal intencionadas engrossou enormemente, seja ao nível das Nações Unidas, da Unesco...
A ´Judaidade`e a Negritude, Israel e o ´quarto mundo` (esses povos, tais os Kurdos ou Nagas, que não têm direito de cidade no seio das organizações internacionais) partilham o mesmo destino face a uma colonização praticada pelos países mascarados de ´anti-imperialismo`.
Ora se bem que Begin e Sadate tenham desencadeado o processo da paz...Duas vias paralelas se abrem, conduzindo a fins opostos. Nada está jogado definitivamente. Porém, se é bem verdade que o destino humano, e singularmente o do povo judeu, estão marcados pelo sinal da tragédia, conclui-se que nenhum está previamente traçado!...

Jacques Givet, único sobrevivente de uma família votada à câmara de gás, lança, graças à sua experiência vivida e a um estilo muito pessoal, um apelo que abala qualquer um...
Nascido em Moscovo entre a revolução de fevereiro (março) e a de outubro (novembro)!

Nota:

O nome da Terra Santa é Judeia e foi Adriano quem mudou o nome como provocação ao Povo da Aliança...
Quando foi decidido em 1947 a divisão em dois Estados: um Judeu e outro Árabe, o primeiro adoptou o nome de Israel, o segundo o de Palestina...logo pode depreender-se que estavam implicitamente a afirmar que reivindicavam...e reivindicam...todo o território!
É espantoso como muitos cristãos e certa esquerda demonstram evidente má vontade contra o Estado de Israel...e pior: não aprendem que, como disse Pacheco Pereira, a vontade sionista nunca cederá a ameaças e chantagens!...





Sem comentários:

Pesquisar neste blogue