Número total de visualizações de página

Os meus blogues

Os meus blogues...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

«O ESPLENDOR DO CAOS» - EDUARDO LOURENÇO - GRADIVA




«O ESPLENDOR DO CAOS»
Eduardo Lourenço
GRADIVA - PUBLICAÇÕES, LDA, 1998
1.ª edição: Fevereiro de 1998
Depósito legal nº 119 807 / 98

«Em parte alguma uma unidade, um centro, um ponto em volta do qual a roda gire»


      Hermann Hesse, «Viagem ao Oriente»

FALCONE TORNAR-SE-Á UM MAGISTRADO EXEMPLAR, UM SERVIDOR DO ´ESTADO` QUE ACREDITA QUE O ´ESTADO` DEVE SER RESPEITADO - NÃO UM ´ESTADO` IDEAL E IMAGINÁRIO, MAS ESSE ´ESTADO`, TAL COMO É. PARADOXALMENTE, PROCURANDO SOZINHO APLICAR A LEI, TRANSFORMOU-SE NUMA PERSONAGEM PERTURBADORA, UM JUIZ QUE ABORRECE, UM HERÓI INCÓMODO.

C. FALCONI E PADOVANI, «COSE DI COSA NOSTRA»


«(...) incorporamos o inferno no quotidiano do mais fascinante a atroz dos séculos. Basta passar em
revista o imaginário deste fim de século (XX) - da ficção à música, do cinema ao teatro, da biologia à tecnologia - para ter uma ideia do ponto a que chegou um mundo onde o horror se tornou invisível, consumido como pura virtualidade, para ter uma ideia da metamorfose da cultura humana. Pode
discutir-se a desordem em que estamos mergulhados - desde a economia até à da legalidade e da ética
- releva ou não, em sentido próprio, do conceito de caos. Do que não há dúvidas é de que o habitamos como se fosse o próprio esplendor.»

Sem comentários:

Pesquisar neste blogue